GPS Brasília comscore

Brasil estreia na BJK Cup com Laura Pigossi

Para ela, o fator casa pode desequilibrar o confronto em favor do Brasil.
Laura Pigossi enfrenta a sul-coreana Sohyun Park a partir das 12h30 desta sexta-feira (10) Foto Luiz Candido CBT
Laura Pigossi enfrenta a sul-coreana Sohyun Park a partir das 12h30 desta sexta-feira (10). Foto: Luiz Candido/CBT

Compartilhe:

Sorteio na manhã desta quinta-feira (9) definiu os confrontos entre Brasil e Coreia do Sul, que ocorrerão na área externa da Arena BRB. Às 12h30, Laura Pigossi (134ª) enfrenta Sohyun Park (295ª), na abertura dos playoffs da Billie Jean King Cup (BJK Cup). Logo depois do encerramento do jogo, a número 1 do Brasil e 11 do mundo, Beatriz Haddad Maia enfrenta Yeonwoo Ku (505ª).

No sábado (10), os confrontos pela BJK Cup se invertem. Beatriz Haddad Maia pega Sohyun Park, tenista sul-coreana mais bem colocada no ranking da WTA. Na sequência, Laura Pigossi encara Yeonwoo Ku. Caso o confronto esteja empatado, a decisão será na partida de duplas, com Bia e Luísa Stefani (18ª no ranking de duplas) enfrentando Dayeon Back (791ª) e Boyoung Jeong (792ª). Os jogos pela BJK Cup começam às 10h.

Para Laura Pigossi, o fator casa pode desequilibrar o confronto em favor do Brasil. “É sempre muito bom poder voltar ao Brasil e jogar em casa. A nossa torcida é uma das melhores do mundo e notamos isso nos torneios ao longo do ano. É uma energia única e somos privilegiadas por estarem do nosso lado. Com certeza vai ser um diferencial quando estivermos em quadra”, pontuou, ao comentar o primeiro jogo.

No segundo confronto desta sexta-feira (10), Beatriz Haddad Maia encara Yeonwoo Ku Foto Luiz Candido CBT
No segundo confronto desta sexta-feira (10), Beatriz Haddad Maia encara Yeonwoo Ku. Foto: Luiz Candido/CBT

Segundo Beatriz Haddad Maia, a adaptação para os jogos contra as coreanas será rápida. “Nenhuma mudança é fácil, mas já estamos acostumadas com esses processos. Viajamos por várias cidades e as condições variam, como o piso, a bola, a umidade. Tudo influencia, mas precisamos focar naquilo que está no nosso controle. É mais uma semana especial e me sinto honrada em fazer parte de um time que trabalha duro individualmente durante o ano para estar aqui”, comentou.

Ao falar sobre a definição das partidas, a capitã do Time Brasil BRB, Roberta Burzagli, explicou que a equipe já estava preparada para qualquer possibilidade e exaltou as brasileiras. “É muito importante estarmos com as nossas principais atletas reunidas. Todas têm realizado feitos incríveis e a presença delas faz com que haja uma confiança maior em toda a equipe. O sorteio é mais ou menos o que imaginávamos. Estamos fazendo uma boa preparação para e todas já se adaptaram às condições que pedimos. Agora temos que levar essa energia para cada duelo”, disse.

As jogadoras também da importância dos clubes na formação delas como atletas. Para Beatriz Haddad Maia, clubes e escolas são fundamentais no processo de formação atlética dos jovens. “Foi no clube e na escola que tive o contato com a raquete e a bolinha. Fui muito estimulada com isso e cresci respirando esporte o dia inteiro. Muitas das exigências do tênis, como habilidade e força, estão em outros esportes que pratiquei. É muito importante o contato do esporte com as crianças”, disse a número 1 do Brasil.

Luísa Stefani acrescentou que o clima de competição ensinado nestas instituições foi fundamental para sua carreira. “Para mim, o que mais se diferencia nos clubes é competir nos times nos finais de semana. Isso começou de pequena, criando uma rivalidade saudável, com outros clubes e escolas. Isso acrescentou muito na minha formação e hoje representar o Brasil tem uma ligação muito forte com estes tempos”, finalizou.

Parceria com o BRB
O presidente da Confederação Brasileira de Tênis, Rafael Westrupp, destacou que, pela primeira vez, o Time Brasil BRB de Tênis vai jogar no País com suas titulares. “Uma oportunidade única, com as mulheres que nos inspiram muito, graças a seus gestos e suas atitudes”, afirmou. Ele também agradeceu ao BRB pela parceria. “Existe uma história do tênis antes e depois do patrocínio do BRB”, completou.

Presente à coletiva pós-sorteio, o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, agradeceu a presença dos dois times em Brasília, para a disputa dos playoffs da BJK Cup. Também destacou a tradição do Iate Clube, local de treinamento das atletas, da proximidade de um acordo com o clube e da parceria com a CBT. “Esperamos uma parceria longa com o tênis. O BRB se orgulha em estar junto com a modalidade e com esta fornada de transformação”, completou.

Patrocínio para Luisa Stefani
No final da coletiva, o presidente do BRB e a tenista Luisa Stefani anunciaram um acordo de patrocínio da duplista, que foi trouxe duas medalhas no Jogos Pan-Americanos do Chile, ouro nas duplas femininas, com Laura Pigossi, e prata nas duplas mistas, com Marcelo Demoliner. Este ano, Luisa foi campeã de duplas mistas do Australian Open, ao lado de Rafael Matos, semifinalista do US Open, quadrifinalista de Wimbledon e faturou três títulos: o WTA 500 de Belim, na Alemanha; o WTA 500 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes; e o WTA 500 de Adelaide, na Austrália.

“Fiquei muito feliz com a nova parceria. O BRB vem ajudando o esporte a crescer ao dar importante apoio ao tênis brasileiro. Este patrocínio vai me dar mais tranquilidade para fazer o calendário em 2024 e me preparar da melhor forma em busca de meus objetivos”, disse a atleta.