GPS Brasília comscore

Para abrir o apetite: quais os spots favoritos dos chefs da cidade?

Chefs queridos pelos brasilienses revelam os seus lugares favoritos para comer aqui na cidade
Foto: Reprodução/Instagram

Compartilhe:

Quando falamos de Brasília, uma das características mais exaltadas da nossa capital aniversariante é justamente sua diversidade e pluralidade, afinal, pessoas de todos os cantos do Brasil encontraram aqui a possibilidade de refazer vidas e ter um futuro melhor.

E toda essa riqueza influenciou também a nossa gastronomia: embora não tenhamos uma culinária 100% autoral, podemos beber da fonte de diversas regiões, e abrir as portas pro que há de melhor quando o assunto é boa mesa.

Hoje, consolidada como a capital do País e referência de boa gastronomia, os brasilienses podem desfrutar de restaurantes ciceroneados por chefs incríveis da cidade. Mas quando os fogões são desligados e o restaurante fecha, aonde esses cozinheiros gostam de estar? Qual a referência de boa comida para eles?

Com essa pergunta em mente, o GPS|Brasília perguntou a alguns dos chefs da cidade os seus locais favoritos na hora de comer. Das barraquinhas aos restaurantes de alta gastronomia, vale tudo. Vem conferir e, quem sabe, adicionar novos spots na sua lista:

Babi Frazão

A atual campeã do Masterchef é responsável pela cozinha do Afeto, além de assinar o menu do Boteco Caju Limão, que abriu recentemente. Ela contou ao GPS Brasília que quando está afim de uma boa comida japonesa, sempre opta pelo tempurá e combinados do New Koto, na 212 Sul.

Ela também apoia os seus vizinhos do Quituart, como o Chucrute e a Toca do Chopp: no spot de culinária alemã, suas escolhas são as mini salsichas e o clássico apfelstrudel. Para quem curte uma cozinha de ‘boteco’, a pedida na Toca do Chopp é o jiló com linguiça e geleia de jabuticaba.

Babi também é apaixonada pelo peixe com molho citron do Iacina, que fica localizado no jardim da escola Aliança Francesa, na 708 Sul. E como é difícil resistir a um docinho após as refeições, ela indica os brigadeiros da Doce Bia e os chocolates e bolos com afeto do Cozinha Alice.

André Castro

O chef do Authoral Cozinha gosta de explorar bastante os spots locais e também regionais daqui da cidade. Para começar o dia, André gosta de comer um pão de batata recheado acompanhado de uma ‘saborosa’, vitamina de laranja, mamão, banana e abacaxi no Vitamina Central, um clássico da cidade. O brioche com requeijão tostado do Ernesto Café também é uma pedida constante.

Apaixonado pela culinária do Norte, André também gosta de se deliciar no Açaí Casca e no Recanto do Pará, na Torre de TV. Ele sempre pede a maniçoba, o preparo com as folhas da mandioca brava com carnes suína, bovina, e outros ingredientes.

Quando pensa em lanches, a pedida é o cachorro-quente do Chico com muita muçarela derretida e maioneses temperadas. O carrinho fica localizado na rua das farmácias, e André define o hot-dog como “indulgência pura”. Mas quando bate a vontade de um bom hamburguer, a opção é o Madre Teresa Deli, em Taguatinga Sul, um dos seus favoritos. Já nas sobremesas, o chef indica a ‘Tarta de Queso’ do Pató Cafeteria, uma espécie de cheesecake basca feita com queijo azul e parmesão.

Leninha Camargo

A consultora gastronômica e chef de cozinha Leninha Camargo contou ao GPS|Brasília que adora sair pra jantar, e que a escolha do restaurante varia de acordo com o momento.

Um de seus spots favoritos é o restaurante localizado no térreo do B Hotel: de entrada, ela sempre escolhe a caçarola de frutos do mar com cevadinha e capim santo. De prato principal, ela investe no polvo na brasa com gremolatta de pimenta de cheiro, tartar e purê de abóbora.

Apaixonada pela culinária italiana, ela sempre bate ponto na varanda do Piselli: o clássico saltimbocca alla romana e o ravioli de queijo brie e pêra com trufas são um de seus queridinhos, sempre acompanhados de um bom drink feito com o gin da casa. No Lago Sul, Leninha gosta de saborear um carpaccio de carne com alcachofras, fileto alla parmigiana e o fetuccine Cinque Terre da Trattoria da Rosario.

Quando bate a vontade de um bom fast-food, Leninha é assídua no K-Rangas Lanches, um trailer de sanduíches que bate ponto na 215 Sul há mais de 34 anos. E quando o assunto é docinho, o supremo de pistache da Casa Almería, as criações impecáveis de Juliana Ingles, e o carrot cake do Patô são os seus favoritos.

Marco Espinoza

O chef que encabeça o menu de diversos restaurantes elogiados na capital como o Taypá, Kinjo, Cantón e mais recentemente o Chaco, também tem seus preferidos aqui na cidade: uma vez por mês, ele mantém a tradição de ir na barraca do Kome in Pé, na feira central da Ceilândia, para se deliciar com os clássicos da culinária nordestina.

Quando quer começar o dia com um café da manhã diferente, a escolha de Espinoza é a Bellini da 113 sul. Os restaurantes Gran Bier e o Le Birosque também estão entre suas escolhas. Se o momento pedir bons drinks e proposta mais descontraída, é no Mercadito que ele gosta de ir. A Casa Doce é a escolha quando bate a vontade de um bom doce.

Ronny Peterson

Com uma brilhante trajetória no comando do Aroma, o chef Ronny Peterson não esquece de suas origens nordestinas e sempre que possível, bate ponto no Manuelzinho, na 405 sul, para comer o cabrito na cerveja.

Apaixonado por carnes, o Fuego Alma e Vino também é um dos restaurantes mais frequentados pelo chef, que elogia o ojo de bife do spot: “ele desmancha na boca”. Quando busca algo mais leve, o atum com caju, foie gras e ovas de massagô do japonês Soho é a pedida do chef.

Para fechar a refeição com uma boa sobremesa, Ronny indica a pêra ao vinho com mascarpone do A’Mano e o doce português Siricaia, também do Manuelzinho.