GPS Brasília comscore

Com Luiz Philippe de Orleans e Bragança, ato pede nova Constituinte no Brasil

Evento em SP debateu possibilidade de nova edição da Carta Magna do País
Jorge Eduardo Rubies e Luiz Philippe Orleans e Bragança
Jorge Eduardo Rubies e Luiz Philippe Orleans e Bragança | Foto: José Luís da Conceição

Compartilhe:

O movimento “Constituinte Já!”, criado pelo empresário paulista e advogado Jorge Eduardo Rubies (52), se manifestou, na noite de quinta-feira (18), durante um coquetel no L’Hotel Portobay, em São Paulo, sobre a necessidade de ser realizada uma reedição da Constituição Federal, para atualizar as leis vigentes no Brasil.

Um dos presentes no evento, o deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP), destacou a importância do debate sobre a nova Carta Magna para abraçar as necessidades da população brasileira.

“Agora, vemos que diferentes grupos que leem a Constituição estão se mobilizando. É fundamental que comecemos a debater uma nova Constituição e que ela seja discutida pela sociedade. Estou muito feliz que essas iniciativas estão ganhando fruto”, comentou o herdeiro da família real brasileira.

O parlamentar ainda ressaltou a necessidade da união entre os diferentes grupos que apoiam a ideia para elaborar uma nova “lei maior” para a população brasileira.

“Há diversos grupos espalhados por todo Brasil, pessoas com consciência do problema. Nem todos têm entendimento sobre para o que serve, o ecossistema jurídico saudável para que se ela sustente. Esses poucos que têm essa compreensão necessitam ter coesão, a evolução do movimento virá do mapeamento e da união de apoiadores”, acredita o congressista.

Fundador do movimento “Constituinte Já!”, o advogado Jorge Eduardo Rubies também enfatizou a importância do diálogo público e aberto, além dos debates oficiais sobre a reedição da Carta publicada em 1988, sob a presidência de Ulysses Guimarães.

“Na situação preocupante em que o Brasil se encontra, é vital entender quais atitudes podemos tomar em prol do bem-estar da população. Esses debates permitem um crescimento sustentável, uma democracia transparente e um atendimento eficaz às demandas sociais. Ficamos contentes que as lideranças presentes tenham o mesmo entusiasmo que nós”, avaliou.