GPS Brasília comscore

BRB saltou de 21% para 40% de mulheres em superintendências, diz diretora

Segundo Cristiane Bukowitz, banco está emprenhado na pauta de equidade de gênero
Cristiane Bukowitz, diretora do BRB
Cristiane Bukowitz, diretora do BRB | Foto: Reprodução/Alquimia Filmes

Compartilhe:

A diretora de Gestão de Pessoas do Banco de Brasília (BRB), Cristiane Bukowitz, destacou, nesta terça-feira (26), a importância da instituição brasiliense na promoção da igualdade de gênero e no incentivo à liderança feminina.

Na entrevista exclusiva ao GPS|Brasília, que ocorreu durante a realização do WeForum, evento global de empreendedorismo feminino, realizado em Brasília, a integrante do fórum global de mulheres empreendedoras ressaltou as ações do banco brasiliense no apoio a projetos femininos e na disponibilização de microcrédito para mulheres em situação de risco social na capital federal.

“Além de ter produtos e serviços com taxas diferenciadas, o banco também promove diversas ações sociais voltadas para as mulheres em situação de vulnerabilidade. Isso é muito importante porque esse segmento de mulheres precisa de apoio, precisa de orientação financeira, precisa de orientação profissional, capacitação. Então, o banco tem atuado nessas linhas, além de disponibilizar os produtos e serviços, também danado a oportunidade do entendimento para que elas possam compreender melhor como utilizar os recursos para mudar a sua vida”, afirmou.

Segundo a diretora, o BRB tem investido em projetos internos de liderança feminina, visando a capacitação e o empoderamento das mulheres para assumirem cargos de destaque na instituição.

Um dos cases de sucesso destacados pela executiva foi a evolução de 21% para 40% de mulheres nos níveis de superintendência da empresa, o mais elevado na carreira interna, demonstrando um avanço significativo na valorização e inclusão das mulheres no ambiente corporativo.

“A gente conseguiu um avanço super importante e vamos continuar agora neste ano com liderança inclusiva, porque envolve o avanço de entendimento das outras pessoas, dos líderes, dos gestores, dos homens também sobre o papel da mulher. Isso para nós é importante”, frisou.

Além disso, Bukowitz ressaltou a importância da segurança econômica para as mulheres, destacando as ações do BRB no fomento ao emprego, renda e autossutentabilidade feminina. 

“Isso é realmente importante discutir no âmbito de gênero. É fundamental, porque o banco tem que promover as suas ações de emprego e renda, a possibilidade das mulheres se autossustentarem e conseguirem estabelecer projetos de vida. Nós temos diversos cases positivos nesse sentido, através do nosso Instituto BRB, e nesse processo as mulheres conseguem avançar com mais segurança, até mesmo aquela que é responsável pela condução da sua família”, finalizou.

Assista a entrevista a partir do tempo 04’41”11

Últimas

Política