Lula: TRF x PT

Em que pese o TRF da 4a Região ter anunciado, nesta quarta-feira, 13, que o recurso da defesa do ex-presidente Lula contra a sentença do juiz Sérgio Moro, que o condenou a 9 anos de prisão, deverá ser julgado já no próximo mês de janeiro. A tendência é que o caso se arraste em mais recursos ao STJ, STF e TSE, ao longo de 2018.

Mas Lula tem tempo: segundo o calendário aprovado pelo Congresso para as eleições de 2018, o registro das candidaturas poderá ser feito até o dia 15 de agosto. E os partidos podem pedir a substituição de um candidato que seja considerado inelegível até 20 dias antes da eleição, marcada para o dia 7 de outubro. 

Ou seja, o 'dead line' do PT com Lula vai até meados de setembro. Depois disso, 'PT Saudações'.

.
Flecha Bumerangue!

Às vésperas de tomar posse como Ministro da Articulação Política de Temer (Secretaria de Governo), na próxima quinta-feira, 14, o ainda deputado Carlos Marun (PMDB-MS) concluiu nesta terça, 12, seu relatório na CPI da JBS.

Se o relatório apresentado for aprovado, quem ficará em maus lençois será o ex-PGR Rodrigo Janot, que poderá ver suas 'flechadas' terem efeito 'bumerangue'.

No relatório da CPI, a ser votado e aprovado até o próximo dia 22, Marun pede o indiciamento do procurador que deverá ser encaminhado à PGR e, uma vez lá, poderá ser arquivado ou ter prosseguimento.

O indiciamento se baseia na lei de "Segurança Nacional" por suposta "subversão à ordem política" que, se tiver prosseguimento poderá culminar com a prisão do ex PGR! Marum lembra que Janot "tripudiou de seus investigados em entrevistas, antecipou o resultado das investigações, quebrou o decoro por se encontrar com advogados da JBS e desrespeirou a CPI se recusando à convocação que foi feita".

A cobra vai fumar...

 

.
Enxaqueca tem cura?

Mal que atinge 90% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a enxaqueca é um tipo de cefaléia intensa caracterizada por uma dor de cabeça pulsátil, geralmente em um dos lados, e acompanhada por fotofobia, náuseas e/ou vômitos. A doença é prevalente no sexo feminino, predominantemente entre as idades de 25 a 45 anos. Causas As causas da enxaqueca são desconhecidas, mas existem fatores predisponentes que favorecem a presença da doença. A fatores genéticos somam-se questões como estresse, distúrbios do sono (insônia), odores fortes, alterações de temperatura e , também, fatores hormonais. O último explica porque as mulheres são mais suscetíveis no período menstrual. A alimentação também interfere. Frutas cítricas, chocolates, café, refrigerantes à base de cola, bebidas alcóolicas ou álcool, entre outras, potencializam os efeitos.

A enxaqueca é classificada de duas formas. A primeira delas é sem aura, termo que se refere às sensações que o paciente apresenta antes das dores de cabeca iniciar). Já a enxaqueca com aura tem consequências visuais ou sensitivas. Esses sintomas também são chamados de pródomos. Podem durar de poucos minutos a até uma hora. Os mais comuns são os visuais, a exemplo de cegueira parcial, visão de pontos luminosos e escotomas visuais (ou pontos cegos na visão). Além dos sintomas visuais existem sinais como paralisia do movimento ocular, paralisia facial, zumbidos no ouvido, alucinações, tonturas, perda do equilíbrio, e outros.

Enfim, a aura da enxaqueca pode apresentar-se em uma série de distúrbios com relação à percepção das formas, sabores, cheiros, sons e sensações. Sinais e sintomas  

Dor de cabeça (geralmente unilateral e pulsátil Náuseas e vômitos Fotobia (sensibilidade à luz) Fonofobia (sensibilidade ao som) Irritabilidade Tontura Dificuldade de concentração

Diagnóstico O diagnóstico é exclusivo através de um bom exame clínico e boa anaminese, baseados nos sinais e sintomas apresentados pelo paciente. Os exames complementares, como o de sangue, tomografia computadorizada, ressonância magnética e eletroencefalograma geralmente são normais, mas são muito importantes para identificar possíveis causas ou diagnósticos diferenciais. Tratamento

O ideal pós-diagnóstico da enxaqueca é descobrir o fator desencadeante da mesma. Existem tratamentos com medicações preventivas para evitar que ocorram as crises e medicamentos para tratar a crise aguda. Bom lembrar que a enxaqueca, principalmente a com aura, tem que ser acompanhada por especialista neurologista, pois existem classes medicamentosas que são utilizadas de forma muito específica. Dentre as quais neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, derivados da ergotamina, e até mesmo anticonvulsivante.  

Fica a dica! Se você  apresenta sinais e sintomas de enxaqueca, procurar um médico para confirmação do diagnóstico e, se indicado, o tratamento profilático é muito eficaz no controle da doença, principalmente nas crises. A enxaqueca sem tratamento incapacita o paciente, bem como compromete a qualidade de vida. A recidiva das crises pode levar a um tratamento crônico com analgesias potentes, fazendo com que o paciente fique dependente de doses medicamentosas cada vez maiores. Ou seja, provocam dependência química.

.
No fluxo perfeito

Mal que acomete 20% da população brasileira em diferentes graus, a doença do refluxo gastroesofágico é uma patologia muito frequente que pode atingir crianças, adultos e idosos. Fisiologicamente, há uma incapacidade do esfíncter (válvula cárdia) inferior do esôfago de reter o conteúdo gástrico do estômago. Ou seja: em vez de seguir o fluxo normal da digestão, os ácidos estomacais retornam para o esôfago, provocando uma sensação desconfortável de queimação. Estudos mostram que 40% da população apresenta refluxos em alguma fase da vida. O principal fenômeno motor é o relaxamento transitório do esfíncter. Entre as causas mais comuns estão presença de hérnia do hiato esofágico, obesidade, má alimentação, tabagismo, uso excessivo de álcool e síndrome de zolling ellisson (quando há uma maior produtividade de ácido clorídrico no organismo). Sintomas Já sentiu azia, dor no peito, tosse seca irritativa, salivação excessiva, dor de garganta, regurgitação e refluxo do suco gástrico, náuseas e empachamento após as refeições? Todos eles são sinais de alerta para o refluxo gastroesofágico. Na maioria da vezes, dependendo da gravidade dos sintomas, por meio de uma boa anamnese e um bom exame clínico o médico consegue fincar o diagnóstico. No entanto, por se tratarem de exames diagnósticos invasivos e que causam incômodos, muitos médicos optam pela prova terapêutica (ou tratamento expectante). Geralmente, os exames mais utilizados são:  

Vídeo endoscopia digestiva alta mais biópsia; ou PHmetria (medindo o PH esofágico durante 24 horas)

Tratamento Por ser uma doença crônica, o refluxo exige cooperação dos pacientes para uma boa resposta terapêutica. Mudanças de hábitos de vida, com boa alimentação e perda de peso são alguns dos fatores fundamentais para uma melhora do organismo. O tratamento medicamentoso geralmente é dividido em dois grupos: 1. Uso de bloqueadores de bomba de prótons (omeprazol, pantoprazol, esomeprazol, rabeprazol…). Estudos mostram que os inibidores de bomba de prótons são mais eficazes tanto na cura quanto no controle dos sintomas; 2. Antagonistas do receptor h2 cimetidina, ranitidina ou famotidina; 3. Procinéticos (medicamentos que melhoram o esvaziamento gástrico são muito úteis, caso da domperidona, bromoprida e metoclopramida); 4. Tratamento cirúrgico; 5. Em casos mais graves, quando o tratamento clínico não é eficaz, pode-se indicar cirurgia corretiva. O procedimento consiste na correção da hérnia hiatal ou da incontininência do esfincter inferior do eôfago, através da confecção de uma válvula anti refluxo (fundoplicatura com fundo gástrico) Fica a dica!  

Cuidado: os sintomas podem parecem com os de outra patologia, como a tosse seca irritativa, um dos principais sinais de refluxo. Sempre consulte o médico antes da automedicação e adote hábitos saudáveis de vida. Dieta correta, atividades físicas e controle do peso podem ajudar no controle dessa e de muitas outras doenças graves. Previna-se!

 

.
Mare, Pesce & Vino

Um menu que valoriza os pescados brasileiros e evidencia a tradição do crudo italiano: essa é a proposta do MARE PESCE & VINO, novo restaurante do Eataly que inaugura nesta quinta-feira, 12 de dezembro.  

O MARE PESCE & VINO ocupará o lugar do Il Pesce, localizado no primeiro andar do complexo. Baseada nos três pilares do Eataly, comprar, comer e aprender, a ideia é valorizar ainda mais a conexão entre o mercado e o restaurante, juntando o balcão da peixaria a cozinha, para oferecer aos clientes uma verdadeira experiência gastronômica do mar até a mesa. O destaque da nova casa fica por conta do balcão, de onde o chef poderá ser visto fazendo os cortes de peixe mais frescos e os melhores crudos italianos, tudo à frente da clientela.  

Um dos pontos primordiais do MARE PESCE & VINO será a qualidade dos ingredientes. Para isso, o Eataly buscou pequenos fornecedores locais de pesca sustentável, como o Amaral, do Rio de Janeiro, que se preocupa com a pesca ecologicamente correta e o cuidado com o manuseio e transporte dos produtos. Contra a pesca predatória de peixes brasileiros, o Eataly trabalhará de acordo com a sazonalidade dos produtos, garantindo que apenas os melhores e mais frescos peixes da estação cheguem aos clientes.

Para acompanhar, uma carta de vinhos italianos com uma seleção de mais que 50 vinhos e o primeiro bar de coquetéis do Eataly, com Gin Tônica, Aperol Spritz, Negroni e Negroni Sbagliato, todos no valor de R$ 30, cada. “Esse será um lugar que une a ideia primária de qualidade de produto e da simplicidade da técnica de produção dos pratos. Esse restaurante é a exaltação do Eataly”, completa Luigi Testa, diretor geral do Eataly Brasil.

.
Os campeões

A 6ª edição da Grande Prova Vinhos do Brasil, realizada no Rio de Janeiro, foi marcada pela diversidade de vinícolas participantes. A prova reuniu 827 amostras de 125 produtores nacionais para o escolher os melhores de 33 categorias entre brancos, rosés e tintos, além de diferentes estilos de espumantes.  

Três vinícolas se consagraram como as melhores em mais de uma categoria:  Cave Geisse (três categorias); Casa Perini; e 

Lidio Carraro (ambas em duas categorias). 

Os vinhos foram eleitos por uma comissão de 23 jurados altamente qualificados que degustou às cegas centenas de rótulos de vinhos brasileiros disponíveis no mercado nacional. Confira os resultados a seguir:

Espumantes categorias: 

Brut Rosé Champenoise: Espumante Casa Valduga Arte Brut Rosé Brut Rosé Charmat (empate): Dunamis Brut Rosé e Cave del Veneto Brut Rosé, Adega Chesini Extra-Brut, Nature Branco: Victoria Geisse Extra Brut 2017 Extra-Brut, Nature Rosé: Victoria Geisse Extra Brut Rosé 2016 Prosecco/Glera: X Decima Prosecco Moscatel Branco: Giaretta Moscatel Demi-Sec Branco: Casa Perini ICE Demi-Sec Moscatel e Demi-Sec Rosé: Monte Paschoal Moscatel, Basso

Vinhos brancos categorias:

Chardonnay: Pizzato Legno Chardonnay 2016 Sauvignon Blanc: Dom Pedrito Obelisco Sauvignon Blanc 2016 Gewurztraminer: RAR Collezione Gewurztraminer 2011 Riesling: Aurora Varietal Riesling Itálico 2017 Moscato: Monte Paschoal Moscato Frisante, Basso Branco de Outras Castas e Cortes: Miolo Quinta do Seival Alvarinho 2016

Vinho rosé:

Rosé Cattacini La Sagrada Familia 2017

Vinhos tintos categorias:

Cabernet Sauvignon (empate): Angustifólia Cabernet Sauvignon 2012, Vinícola Araucária e Panizzon Celebrando Gerações Cabernet Sauvignon 2015 Merlot (empate):  Monte Paschoal Dedicato Merlot 2013, Basso e Barão de Petrópolis Reserva Merlot 2012 Tannat: Almejo Tannat 2012, Família Bebber Sangiovese: Cave Antiga Sangiovese 2012 Syrah: Vista da Serra Syrah 2015, Guaspari Pinot Noir: Monte Paschoal Dedicato Pinot Noir 2014, Basso Tempranillo: Lendas do Pampa Tempranillo 2015, Guatambu Cabernet Franc: Barão de Petrópolis Reserva Cabernet Franc 2012 Marselan: Casa Perini Marselan 2014 Tinto de Outras Castas: Lidio Carraro Singular Teroldego 2010 Tinto Cortes: Lidio Carraro Quorum Grande Vindima 2008 .
Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br