GPS Brasília comscore

Sobrinho-neto defende Dilma após indicação ao Banco dos Brics

Pedro Rousseff criticou divulgação do novo salário da ex-presidente que foi indicada por Lula e referendada por países integrantes

Compartilhe:

Sobrinho-neto de Dilma Rousseff (PT), **Pedro Rousseff** foi para as redes sociais para **criticar** a cobertura da mídia **sobre o salário** que a ex-presidente do Brasil deve receber no comando do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês), conhecido como **Banco dos Brics**.

Reportagens indicaram que a petista receberá R$ 290 mil por mês após a indicação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“_Gente, assumiram já vários presidentes do banco dos Brics, inclusive o indicado do Bolsonaro. E a mídia não divulgou sequer uma vez quanto que esses presidentes estão ganhando. E por que no caso da Dilma eles querem divulgar tanto assim o salário dela? A Dilma já foi ministra de Estado e presidenta eleita por duas vezes, ainda assim tem gente que não aceita que as mulheres podem, sim, ocupar os cargos mais altos da hierarquia no Brasil_”, disse.

Segundo Pedro Rousseff, a divulgação do salário e a crise que gerou por conta da indicação seria “mais uma prova” que o preconceito ainda existe no Brasil.

“_Isso é um detalhe muito importante que não é que o Lula só indicou a Dilma para a presidência do banco, não. Todos os países membros dos Brics aprovaram a entrada da ex-presidenta. E qual que é a importância desse banco hoje em dia? A perspectiva é que, nos próximos quatro anos, o banco tenha uma carteira de de mais de R$ 200 bilhões para poder fazer investimentos em infraestrutura e energia verde, dentre outras coisas importantíssimas_”, continuou.