GPS Brasília comscore

Nível do Guaíba apresenta menor aumento desde início da calamidade no RS

Inundação no Rio Grande do Sul impacta moradores e exigirá esforços para reconstrução
As enchentes no Rio Grande do Sul deixaram um rastro de mortes e destruição
As enchentes no Rio Grande do Sul deixaram um rastro de mortes e destruição. Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

Compartilhe:

O Rio Guaíba, localizado no Rio Grande do Sul, registrou neste domingo (19) o menor nível de água desde o início da inundação, atingindo a marca de 4,31 metros, de acordo com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

Segundo informações da ANA, o pico da inundação foi alcançado em 5 de maio, quando o nível do rio chegou a 5,35 metros. No sábado (18), a altura da água havia diminuído para 4,53 metros, representando um escoamento de aproximadamente 20 centímetros em um período de 24 horas.

Com a previsão de manutenção do Guaíba acima da cota de inundação, estabelecida em 3 metros, até o final do mês, o Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) destacou a necessidade de medidas preventivas e de reconstrução nas áreas afetadas. O jornal GZH, do estado gaúcho, informou que três comportas foram abertas para ajudar a drenar o Guaíba.

O uso de bombas de alta capacidade para drenagem em pontos inundados, doadas Sabesp, a companhia de saneamento básico de São Paulo, representa um esforço adicional para minimizar os impactos da inundação. Essas bombas são capazes de remover até 3,3 mil litros de água por segundo e já estão sendo empregadas em cidades

O governo do Rio Grande do Sul anunciou a liberação da rota para o município de Santa Maria, pela RSC-287, visando facilitar o fluxo de transporte na região.