GPS Brasília comscore

DF tem saldo positivo na geração de empregos nos últimos 12 meses

Até abril deste ano, o registro está em 21.589 novos empregos formais
Brasil gerou 1,146 milhão de postos de trabalho no último trimestre de 2023, informa IBGE
Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Compartilhe:

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que mede a geração de emprego com carteira assinada no país, o Distrito Federal registrou saldo positivo de 5.258 novas vagas em abril de 2024. O levantamento é feito pelo Ministério do Trabalho e Emprego e, nos primeiros quatro meses do ano, o registro está em 21.589 novos empregos formais. Nos últimos 12 meses, são 41.034 vagas, com 4,33% de variação positiva, a maior entre as unidades da Federação do Centro-Oeste.

“O governador Ibaneis Rocha está comprometido com a geração de emprego e renda e os números apresentados pelo Caged reforçam isso. Tenho me reunido com o setor produtivo e, sempre que possível, temos atendido os pleitos deles com o foco na geração de mais postos de trabalho”, afirma o secretário de Economia, Ney Ferraz.

Nos últimos 12 meses, são 41.034 vagas, com 4,33% de variação positiva, a maior entre as unidades da Federação do Centro-Oeste | Foto: Arquivo/Agência Brasília

Programas de governo

Dois programas de qualificação profissional foram implementados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Trabalho e Renda do Distrito Federal (Sedet) sob a perspectiva de investir na qualificação profissional: RenovaDF e QualificaDF.

O RenovaDF foi lançado em maio de 2021 para promover formação profissional da população, ao mesmo tempo em que equipamentos e espaços públicos são reformados. A iniciativa oferece auxílio no valor de um salário mínimo para os participantes, além de vale-transporte e seguro contra acidentes pessoais. O ciclo aborda técnicas de alvenaria, carpintaria, elétrica, hidráulica, jardinagem, paisagismo, pintura, serralheria e segurança no ambiente de trabalho.

Já o QualificaDF, lançado em agosto de 2020, promove cursos profissionalizantes gratuitos nas áreas de agronegócio, comércio, serviços, saúde e informática – escolhidos a partir de análise sobre as vagas que mais aparecem no banco de intermediação das agências do trabalhador do DF.

Nos primeiros quatro meses de 2024, o registro positivo está em 21.589 novos empregos formais | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Após a formação nos dois programas, o cidadão, caso esteja em busca de uma oportunidade, é encaminhado para uma agência do trabalhador. São 14 postos no Distrito Federal, que auxiliam os candidatos na busca de emprego.

De acordo com o secretário do Trabalho, Thales Mendes, o DF é o segundo com menor índice de informalidade entre os estados brasileiros. “Isso demonstra que o nosso emprego é de qualidade, formal e que normalmente tem uma rentabilização pelo trabalho maior que vários outros estados, fortalecido com o indicador desses números do Caged”, afirma o gestor.

O secretário explica, ainda, que com aumento do emprego formal consequentemente há o maior número de registros de carteiras de trabalho no DF – o que, na visão de Mendes, é um resultado do trabalho feito com o investimento de mais de R$ 100 milhões somente em qualificação, junto à previsão de mais de 60 mil qualificações esse ano.

“Essa notícia do Caged demonstra que nós estamos no caminho certo, qualificando as pessoas, gerando oportunidade e criando condições junto àqueles que estão desempregados em busca de uma nova colocação, para que eles ocupem essas vagas que estão sendo geradas no mercado de trabalho em Brasília. Tudo isso dando segurança para o empresário contratar, com responsabilidade social e cumprindo as obrigações trabalhistas”, acentua Thales.

Acesso

Para se candidatar a uma vaga nas agências do trabalhador, o interessado deve cadastrar o currículo por meio do aplicativo Sine Fácil ou comparecer a uma unidade. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Acesse aqui o quadro de vagas disponíveis, além do telefone para contato e endereço das agências.