GPS Brasília comscore

DF receberá 194 mil doses da vacina contra a dengue e anuncia novas tendas

Serão adicionados nove pontos de atendimento; previsão é de que imunizantes cheguem até sexta-feira (9)
DF receberá 194 mil doses da vacina contra a dengue e anuncia novas tendas
A recomendação do governo é que, com sintomas iniciais, o paciente procure uma das 176 unidades básicas de saúde (UBSs) do DF ou uma das tendas de acolhimento / Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

Compartilhe:

Mais nove tendas de acolhimento e vacinação contra a dengue são as novas medidas anunciadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para o enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti. A previsão é que o governo federal repasse ao DF 194 mil doses para imunizar o público-alvo da vacinação — jovens de 10 a 14 anos. Já as novas estruturas de acolhimento serão instaladas nos próximos dias em regiões com maior incidência de casos da doença.

Se a vacina estiver disponível na sexta-feira pela manhã, à tarde já teremos vacinação em 35 pontos no DF”, afirmou o secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (7). “Não há necessidade de agendamento. A única obrigatoriedade é que seja dentro da faixa etária. Há doses para todos os residentes do DF que tenham entre 10 e 14 anos.” Ele reforçou que pessoas fora dessa faixa de idade não serão vacinadas.

Atendimento ampliado

Além dos imunizantes, o GDF anunciou o aumento do número de tendas de acolhimento no DF. Atualmente, há nove em pleno funcionamento nos locais com maior incidência do mosquito transmissor. Com as novas unidades, o objetivo é expandir o atendimento à população diagnosticada com a doença e afrouxar os hospitais da rede pública de saúde.

As novas instalações começarão a funcionar a partir do fim da próxima semana em Vicente Pires, Varjão, Gama, Taguatinga, Guará, região central do Plano Piloto e Paranoá. Ceilândia e Samambaia também serão beneficiadas e vão ganhar mais uma tenda de acolhimento.

De olho nos sintomas

De acordo com a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, a recomendação é que o paciente diagnosticado com dengue não demore a buscar assistência médica. “Pedimos à população que, logo aos primeiros sintomas, procure um equipamento público mais próximo de sua residência; não deixem chegar ao quadro grave da doença”, pontuou a gestora.

Com sintomas iniciais, o paciente deve procurar uma das 176 unidades básicas de saúde (UBSs) distribuídas pelo DF ou uma das tendas de acolhimento. Após análise clínica, a equipe médica poderá encaminhá-lo a um dos hospitais da rede pública de saúde, bem como ao Hospital de Campanha, administrado pela Força Aérea Brasileira. O Distrito Federal dispõe de mais de 500 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) para acompanhamento em tempo integral de pacientes que desenvolverem o quadro grave da doença.

Mais de mil alunos das áreas de medicina e enfermagem também vão ampliar os atendimentos à população do DF. Os universitários foram treinados nesta terça-feira (6) para começar a atuar ainda nesta semana.

Hospital do Sol

Criado para reforçar o atendimento médico durante a pandemia da covid-19, o Hospital de Campanha de Ceilândia também vai expandir o acolhimento aos pacientes com dengue. Isso porque, na terça-feira (6), a Câmara Legislativa do DF (CLDF) autorizou que os 60 leitos disponíveis do Hospital do Sol possam ser geridos pelo IgesDF.

A medida visa ampliar o atendimento aos pacientes com dengue durante o período de situação de emergência na saúde pública. O próximo passo é que esse projeto de lei seja sancionado pelo governador Ibaneis Rocha.