GPS Brasília comscore

Brasília será incluída no polo nacional de exportação, diz presidente da Apex

Durante almoço com empresários do Grupo Lide, Jorge Viana defendeu união do setor produtivo para alavancar economia local

Compartilhe:

O novo presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e investimentos (**ApexBrasil**), **Jorge Viana (PT)**, defendeu, nesta quarta-feira (8), que o Distrito Federal **assuma o protagonismo** para que seja incluído entre os polos de exportações do Brasil.

A declaração do **ex-governador do Acre** ocorreu durante encontro do Grupo Lide, que reúne empresários do Distrito Federal e é presidido pelo ex-**senador Paulo Octávio (PSD)**. O almoço ocorreu no hotel Royal Tulip.

“_Brasília está muito bem localizada do ponto de vista do mercado brasileiro e com grande potencial para a exportação. E isso não acontece ainda. A região que menos exporta no Centro-Oeste é Brasília. São US$ 300 milhões por ano. Isso é muito pouco perto do conjunto de US$ 55 bilhões/ano que o Centro-Oeste exporta. Então, acho que Brasília talvez seja o espaço brasileiro com maior potencial de crescimento_”, disse.

Para se ideia, atualmente, o Centro-Oeste, como um todo, exporta em dois dias o que Brasília envia para fora do país durante um ano inteiro. Por isso, Viana disse que a agência ajudará a capital a mudar o perfil de exportação.

“_Brasília já dominou a tecnologia de produção de frutas e o Brasil é o terceiro maior produtor do mundo, mas é o 23º em exportação de frutas. Então, Brasília é um espaço para crescimento não só de frutas, mas de outros produtos. A ideia é reunir todo o setor produtivo para Brasília tomar seu espaço dentro da exportação brasileira_”, continuou.

O presidente do Grupo Lide, empresário Paulo Octávio, concordou com a proposta de Jorge Viana e se comprometeu a reunir vários empresários, incluindo os exportadores, para traçar estratégias de médio e longo prazo para intensificar a venda de produtos brasilienses para outros países.

“Temos potencial, clima bom, terras cultiváveis e alguns produtos já exportados, como o croissant fabricado no Gama, que chega aos Estados Unidos, Japão e Portugal. Aqui, ninguém nunca deu muita importância a esta questão. Eu não vejo porque não exportar as frutas brasilienses, como o morango. Quando vou a Brazlândia e vejo aquela festa maravilhosa, fico me perguntando por que não é enviada a outros países por via aérea? Temos voos para Portugal, Argentina, Estados Unidos e Panamá. É preciso pensar em Brasília não só como polo político, mas também como capital de negócios”.

Paulo Octávio elogiou o fato de Brasília estar nos planos do novo presidente da agência.

“Como Jorge Viana estudou e mora em Brasília e é próximo ao presidente Lula e ao ministro e vice-presidente Geraldo Alckmin, temos de aproveitar este bom momento da política e superar as dificuldades. A Apex tem bases no mundo todo – Estados Unidos, Europa, China e Japão. E é hora de fomentar a exportação em outros níveis”, endossou.

Para que o plano se concretize, lembrou Jorge Viana, o governo do presidente Lula terá de fazer um trabalho de reaproximação diplomática com nações parceiras do Brasil, já que, segundo ele, Bolsonaro fechou as portas com vários países.

“_A imagem do país estava muito ruim no exterior. O Brasil agora voltou a ter diplomacia presidencial_”, disse. “_Não foi realizada visita alguma. O Egito, por exemplo, é importante parceiro. Mas o presidente Lula, assim que assumiu, retomou essa relação com o mundo. Em menos de um mês, esteve na Argentina, Uruguai e próximo da missão da Alemanha, importantíssima. E agora vai aos EUA_”, continuou o ex-senador.

**Veja as fotos de Rayra Paiva:**Lula