GPS Brasília comscore

Avião cai e deixa ao menos 3 mortos no interior de Minas Gerais

De acordo com moradores da região, o veículo se desintegrou no ar durante tempestade
Avião cai e deixa ao menos 3 mortos no interior de Minas Gerais
Destroços do acidente | Reprodução/X

Compartilhe:

Um avião de pequeno porte caiu na manhã deste domingo (28) na zona rural de Itapeva, região sul de Minas Gerais. Três pessoas morreram e outras duas estão desaparecidas, segundo a Polícia Militar. A informação inicial indicava cinco mortos, mas, até o momento, são confirmados três óbitos.

De acordo com relatos de moradores, o avião monomotor PS-MTG se partiu enquanto sobrevoava a região e suas partes foram caindo aos poucos ao solo. Os bombeiros da cidade de Extrema informaram que prosseguem nas buscas de outras possíveis vítimas e que os destroços caíram a um raio aproximado de 400 metros.

O acidente ocorreu às 10h36, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Testemunhas afirmam que chovia forte na região nesta manhã. Imagens nas redes sociais mostram moradores se mobilizando após a queda do avião. Até o momento não há informações precisas sobre as circunstâncias do acidente. Bombeiros e equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) continuam participando do atendimento à ocorrência.

Investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA III), localizados no Rio de Janeiro, órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), foram acionados para a ocorrência com a aeronave de matrícula PS-MTG, em Itapeva (MG).

Na Ação Inicial são utilizadas técnicas específicas, conduzidas por pessoal qualificado e credenciado que realiza a coleta e confirmação de dados, a preservação dos elementos da investigação, a verificação inicial de danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias ao processo de investigação.

“A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes”, informou o órgão.