GPS Brasília comscore

Ashton Kutcher deixa ONG após apoiar amigo condenado por estupros

Ator e sua mulher foram criticados por escreverem cartas descrevendo Danny Masterson como um "marido dedicado e leal"
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Compartilhe:

Ashton Kutcher renunciou na sexta, 15, ao cargo de presidente do conselho da Thorn, uma organização sem fins lucrativos que ele cofundou com sua ex-mulher Demi Moore há mais de uma década para combater a exploração sexual infantil.

 

“Após vários dias de reflexão, aprendizado e conversas com sobreviventes, funcionários e líderes da Thorn, determinei que a coisa responsável a fazer é renunciar como presidente do conselho, com efeito imediato. Não posso permitir que meu erro de julgamento desvie a atenção de nossos esforços e das crianças que servimos”, disse em comunicado publicado no site da organização.

 

O ator e sua mulher, a atriz Mila Kunis, foram criticados por escreverem cartas descrevendo Danny Masterson como um “marido dedicado e leal”, um “excelente modelo” e um “excepcional irmão mais velho”. Masterson foi condenado a 30 anos de prisão por agressão sexual a duas mulheres entre 2001 e 2003.

 

As críticas vieram de figuras públicas como as atrizes Kathy Griffin e Christina Ricci, que destacaram a importância de apoiar vítimas de agressão sexual em vez de indivíduos condenados por tais crimes. O casal fez um vídeo de pedido de desculpas depois da repercussão negativa.

A ideia da carta foi uma estratégia da defesa de Masterson para comprovar sua idoneidade e abrandar sua pena. Vários atores também participaram da ação. Ashton, Mila e Danny são amigos de longa data e atuaram juntos entre 1998 e 2006 na série De Volta aos Anos 70 (That ‘70s Show, no título original em inglês).

 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Últimas

Política