GPS | DEGUSTAÇÃO

Vale relembrar

COLABORADOR Andressa Furtado   
|   20/12/2017 13:00 ( atualizada 20/12/2017 13:00)   
FOTO Cortesia   
Colunista Andressa Furtado recorda as boas apostas do mercado gastronômico em 2017

Definitivamente, o brasiliense ama comer. Há quem diga que o motivo é a falta de opção de baladas, mas eu discordo completamente. Quem gosta de eventos noturnos ou diurnos pode escolher inúmeras alternativas que a cidade oferece. A quantidade crescente de perfis no Instagram voltados para o tema “comida” prova que tudo que é novidade, tem cara de gordice e “parece” ser gostoso merece um like, um repost ou um simples print enviado nos grupos dos amigos. Porém, como a rede social é fugaz e cai no esquecimento das pessoas, decidi relembrar as boas e bacanas apostas que estrelaram a cena gastronômica da cidade em 2017. Vamos lá?!  

 

boom das hamburguerias
 

Depois das temakerias, chegou a vez das hamburguerias caírem nas graças dos empresários brasilienses. Em pouco menos de um ano, ganhamos o Cão Véio, na 404 Sul; o novo contâiner da Páprica, no Setor Hoteleiro Sul; a Cumarim Burguer & Grill, na 204 Sul; a Geléia Burguer, no Sudoeste; a The Black Beef, na 402 Sul e na 302 Sudoeste; a Belgrado Burger, na 107 Norte; a Jamm Burgers, na 413 Sul; a Genuína, no Setor Hospitalar do Sudoeste; a Meatz Burguer, na 105 Sul; e o recém-inaugurado Ricco Burger, na 306 Sul. Ainda teremos a B de Burguer, que abrirá no próximo ano.
 


Nova unidade do Geléia Burguer, no Sudoeste (Foto: Cortesia)

 

De todas essas, confesso que ainda não conheci o cardápio do Cumarim, do Belgrado e do Jamm, mas deixo minha estrelinha especial para o Páprica - marca made in Brasília que merece destaque pelo conceito e execução de sua proposta. Não sou fã dos milk-shakes da casa, nem do bolo de chocolate, mas sou completamente apaixonada pelo hambúrguer Chimichurri - um blend de Black Angus gratinado com provolone levemente defumado, linguiça fininha grelhada, batata palha caseira, tomate fresco e molho chimichurri no pão artesanal de batata inglesa. É de lamber os dedos.
 


Novo contâiner da Páprica, no Setor Hoteleiro Sul (Foto: Luara Baggi/GPS|Brasília)

 

Ricco Burger não fica atrás, mas ainda é difícil analisá-lo já que abriu há poucos dias. Se levarmos em consideração sua estreia, acredito que o sucesso será certo. Gosto do mote de molhos caseiros, pães sem química, carne sustentável, tudo feito lá dentro com muita cautela e esmero. Sem falar do quarteto de empresários à frente do negócio: Rick Emediato, Ricardinho Sechis, Renata Carvalho e Lucas Porto. Com essa soma é difícil dar errado.
 

Minha única ressalva para boa parte desses estabelecimentos citados acima é o número reduzido de caixas de atendimento, o que causa filas enormes do lado de fora. E ainda há quem diga que as casas estão lotadas. Às vezes sim, mas para mim soa como puro marketing forçado. Menos é mais em alguns casos, mas nesse específico, apenas me irrita e desanima.

 

Velhos conhecidos, novos projetos
 

Esses dois nomes são meus amigos pessoais. Para mim, falar deles é fácil. Saibam que não é só pela intimidade, mas também por acompanhar de perto seus feitos e dificuldades. No quesito força de vontade e garra, ambos são bem parecidos. Os chefs Renata Carvalho e Marcelo Petrarca sonham alto e, diferente de quem só fala, eles também concretizam.


Renata Carvalho: agora à frente do Ricco Burger (Foto: Reprodução)

 

Este ano foi diferente para a chef que domina a brasa. Renata se desfez de uma sociedade longa e bonita no Loca Como Tu Madre, mas antes disso abraçou duas novas empreitadas: a La Boulangerie Bistrô, no Casa Park, e o Ricco Burguer, citado anteriormente.
 

Se ser eclética era a palavra de ordem deste ano para a chef, ela cumpriu com excelência. Do prêmio de Melhor Cozinha de Bar (dado pela Veja Comer & Beber ao Loca Como Tu Madre) ao cardápio exímio do bistrô francês em parceria com o padeiro Guillaume Petitgas até os hambúrgueres feitos com carnes na brasa - bem suculentas, por sinal. Fato é que em tudo isso, Renatinha merece uma salva de palmas. Não só pelo seu trabalho e criatividade, mas também por sua força de vontade. Não sucumbiu às dificuldades e ressurgiu como uma fênix.
 


Marcelo Petrarca abre as portas do Lago, seu terceiro restaurante (Foto: Gustavo Moreno/GPS|Brasília

 

Marcelo Petrarca é outro exemplo de empreendedorismo. Seu restaurante, o Bloco C, não participa de festivais gastronômicos, mas está sempre com fila na porta, têm clientes fiéis e uma entrega de pratos que considero ótima. Sua equipe, bem treinada, não deixa a desejar. Vide o querido Edilson, que sempre me recebe com um sorriso largo no rosto e um abraço apertado. Tem gente que acha o restaurante formal, mas lá eu me sinto em casa. Os garçons sabem meu nome e, inclusive, o que eu gosto de comer. Carol e Daniel Petrarca também fazem às honras da casa e recebem a todos muito bem. O chef, nem se fala. Senta na mesa e conversa sem estresse.  
 

O cardápio, muitas vezes criticado, não têm pratos “encalhados”. Petrarca lida bem com reclamações. Prova disso é que acabou de abrir sua nova casa intitulada Lago, na QI 5 do Lago Sul. No menu, colocou uma nhá benta caseira, uma rabanada de leite ninho e um prato clássico, o filé wellington. Seria mais do mesmo para alguns, mas para mim, é sinônimo de quem realmente faz de um prato simples uma experiência memorável. Agora, além de orquestrar o Bloco C, o Inverso e o Bloco C em Casa, tem mais uma casa para chamar de sua, mais uma equipe, mais problemas para resolver e mais boas experiências. Essa dupla merece nosso troféu.

 

Simples como deve ser
 

O brasiliense está cansado do raio gourmetizador. Da espuma de gengibre, daquele prato feito com muito esmero, mas cheio de firulas e nomes difíceis. Da pouca quantidade de comida e da chatice do atendimento formal. O brasiliense quer ser bem atendido, quer comer bem, quer pagar o valor devido e se sentir abraçado. A matéria intitulada por mim Um afago na alma, publicada em julho deste ano aqui no GPS|Brasília, é o resumo perfeito do sucesso do Café e um Chêro, cafeteria comandada pelo jovem empresário João Gabriel Amaral com pratos executados por sua mãe, Alba.


João Gabriel e Alba Amaral (Foto: Luara Baggi/GPS|Brasília

 

O café é um sucesso de aprovação e de fidelização de clientes. Quem vai, volta. A reclamação gira em torno apenas da pouca quantidade de mesas que a casa oferece. Lá a Priscila, a Manu e a Ellen dão um show no atendimento. Dona Alba e sua equipe da cozinha não deixam a peteca cair. O pão com carne de panela tem 100% de aprovação. O cuscuz, a tapioca e o pão com queijo e banana nem se fala. Mas a cereja do bolo, sem dúvidas, é a visão empreendedora e carinho de João com sua clientela. Incansável e batalhador, merece nosso reconhecimento. Sou fã e levanto a bandeira de que “menos sempre é mais.”
 

Portas fechadas
 

2017 também foi o ano de fechamento de alguns restaurantes da cidade, para nossa tristeza e para o desânimo dos empresários do mercado gastronômico. Os motivos? Altos impostos, crise financeira, diminuição do movimento, mudança de comportamento do público, falta de reciclagem de seus donos... Brasília se despediu do Villa Borghese, do bistrô Toujours, do El Negro da Asa Norte, do ousado projeto do Mercado Municipal, do delicioso Ancho Bistrô de Fogo, do Leo – o antigo Jambu, na Vila Planalto... Grandes perdas que merecem ser lembradas com saudosismo.



Mercado Municipal (Foto: Fernando Veler/GPS|Brasília

 

Talento 2.0
 

Thiago Paraíso é novo nome do momento. Tudo bem, ele já vinha fazendo um ótimo trabalho no Saveur Bistrot, mas recentemente decidiu abrir a cortina da coxia e deixou os holofotes lhe iluminarem como deveria. Virou protagonista e entrou no circuito gastronômico de vez com a abertura do Ouriço. O restaurante, que possui um bar no andar de cima, tem sido o assunto das rodas de conversas de quem adora uma novidade, tem bom gosto e não reclama em investir num bom atendimento e numa comida bem-feita. Ainda não conheci quem tenha más impressões sobre seus pratos e trabalho. No cardápio, mexilhões e ostras frescas importadas de Santa Catarina, camarão, atum, polvo, lagosta e outras opções de frutos do mar. Para os amantes desses itens, vale conhecer essa casa e a criatividade do chef. Vai com tudo, Thiago!



Thiago Paraíso (Foto: Raimundo Sampaio/Cortesia) 

 

Dá um like e compartilha
 

Os restaurantes também perceberam que seus consumidores estão se informando sobre seus estabelecimentos pelas redes sociais. É tanto que o número de perfis que falam sobre comida e mostram pratos e drinks deliciosos aumentou consideravelmente. Com isso, temos casas investindo bastante na produção de boas fotos, vídeos fofos e institucionais e na relação mais próxima com o público. Ponto para a hamburgueria Páprica (@papricaburger), que desde sua abertura lança vídeos superbacanas sobre seus produtos, para o Bolo da Ivone (@bolodaivone), que recentemente trouxe para a rede social a identidade de uma marca feita por uma família com aconchego e carinho e para o Café e um Chêro (@cafeeumchero), que com todo seu preciosismo arrebanha mais fãs com as receitas de Dona Alba. E fica a dica: quem não é visto, não é lembrado. Empresários, não ignorem esse comportamento do público: 2018 está logo ali!



Instagram: @bolodaivone (Foto: Reprodução) 



Em alta


Teve pizzaria de Brasília dando um show no cenário nacional de novo. Pelo segundo ano consecutivo a Baco foi eleita a melhor pizza do País em premiação anual da revista Prazeres da Mesa, especializada em gastronomia. Quem conhece o restauranteur Gil Guimarães sabe que ele é incansável. Foram inúmeros e longos testes para encontrar a fórmula perfeita. 
 


Baco Pizzaria ganha o título de Melhor Pizza do Brasil pela revista Prazeres da Mesa pelo segundo ano (Foto: Cortesia) 

Em seu Instagram, Gil fez um post que merece ser relembrado: “Tudo começou na Quituart, uma feira gastronômica no Lago Norte em Brasília. Depois de muitos, muitos anos conseguimos um prêmio inimaginável para uma pizzaria fora de São Paulo, fomos escolhidos a melhor pizzaria do Brasil. Bom, isso já era o suficiente para estar feliz para o resto da vida. Aí fomos citados no Gambero Rosso, o principal guia de gastronomia da Itália, como uma das melhores Pizzarias fora da Itália. Mas ainda tinha mais por vir... pelo segundo ano consecutivo formos escolhidos a Melhor pizzaria do País pela principal revista de Gastronomia do Brasil, a Prazeres da Mesa. Por essa não esperávamos, aumenta nossa responsabilidade e nos faz continuar tentando fazer o melhor possível. Gil”.

Valeu, Gil! Que venha o terceiro ano seguido!
 

Um casal, dois negócios
 

Ariela Lana e Eduardo Nobre, casal que comanda o IVV Swine Bar, também despontaram este ano. Voaram alto. Além de orquestrar o badalado bar de vinho especializado em carne suína, decidiram abrir um coworking de gastronomia, que funciona numa loja do prédio vizinho. O espaço é uma cozinha completa aberta a chefs profissionais e amadores que queiram usá-la mediante aluguel. Nele, é possível realizar almoços e jantares ou até mesmo usar o lugar como locação para fotos ou filmagens.  A aposta foi acertada. O que essa dupla prepara para o próximo ano? Vamos aguardar, mas só posso desejar vida longa a esses projetos inovadores e tão incríveis para Brasília.



Ariela Lana e Eduardo Nobre, casal que comanda o IVV Swine Bar e o Na Cozinha do IVV (Foto: Luara Baggi/GPS|Brasília)

 

Fora do óbvio


Novo Contém no gramado da Funarte (Foto: Diego Cavalcanti/Cortesia) 
 

Impossível falar de 2017 e não citar o Contém - conjunto de gastronomia, diversão e lazer, que invadiu a 105 Norte. Atualmente, o projeto mudou para o gramado da Funarte e promete continuar seu sucesso por lá. A grande sacada de Sandro Biondo, Ana Julia Melo, André Pires e Lucas Tobias deu o que falar e foi abraçada pelo público brasiliense com todo amor e carinho. Sentar numa cadeira de praia, bebericar um drink e ouvir uma boa música. É aqui que volto a falar do despretensioso e simples. Tem coisa melhor do que chegar num lugar e sentir à vontade? Para mim não. E é por isso, que valorizo as boas iniciativas da cidade e espero que, em 2018, sejamos surpreendidos por ideias como essa. 


Brasília no circuito


Unidade do Paris 6 Brasília (Foto: Cortesia) 

Sei que já falei do Cão Veio lá em cima, mas não posso deixar de citar a chegada de marcas de outras cidades na Capital Federal fomentando ainda mais nosso mercado gastronômico. Além da hamburgueria de Henrique Fogaça, tivemos a abertura de uma unidade do Paris 6 comandado pelo empresário Isaac Azar, do bar curitibano Taj, novas operações do Madero - vale destacar que a loja do shopping ID é a que mais vende no Brasil -, outra operação do Mangai, mais Dunkin Donuts e Ben & Jerry's e a marca de fast-food saudável, Club Life to Go... Fato é que a capital tem se solidificado e despontado.

 

Que venha 2018 e muitas outras novidades! 

 


Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br
{slideshow_baner}