GPS | CULTURA

Na batida

COLABORADOR Pedro Lira   
|   18/07/2017 07:00 ( atualizada 18/07/2017 07:00)   
FOTO Cortesia   
Radicado em Brasília, DJ Bhaskar, irmão de Alok, é mais um sucesso da Capital na crescente música eletrônica

Sucesso nas picapes do Brasil e do mundo, o jovem DJ, nascido em Goiânia, radicado em Brasília, é uma das pérolas da Capital. Sucesso da música eletrônica e morador de Águas Claras, cresceu no universo das batidas psychedelic trance e é um dos queridinhos nas pistas de dança do momento. Acha que estamos falando de Alok? Quase! Irmão gêmeo do DJ número 1 do Brasil, Bhaskar Petrillo é mais uma promessa da música brasiliense.

 

Mas não fique tão animado. A agenda de Bhaskar é tão cheia que fica difícil dar toda a atenção aos brasilienses. "Hoje tenho request no mundo todo! A minha média de apresentações na Capital é a cada três ou quatro meses", conta. Essa é uma tática para manter o público. "Ser residente nunca é bom. Hoje em dia a melhor coisa é ter liberdade para tocar em vários lugares e, claro, deixar o público sentir saudades", brinca.

 

Simpático e de sorriso fácil, o DJ tem criado o próprio estilo no gigante universo da música eletrônica. "É difícil definir meu gênero, mas pode-se dizer que é algo entre House e Brazillian Base", explica. A batida, criada no Brasil, mistura techno, house, electro, psy trance. "Diria que meu som é um brazillian base melódico. Tem harmonia e é acessível. Agrada pessoas não tão envolvidas na música eletrônica."

 

 

Uma das maiores inspirações do DJ é o famoso Flume. Conhecido no universo eletrônico pelo estilo Future Base, fez carreira apostando no estilo autoral. "Esse é meu objetivo: fazer sucesso sendo eu mesmo, sem precisar seguir a moda ou uma fórmula para fazer meu nome."

 

Apesar de morar logo aqui, em Águas Claras, Bhaskar é raridade nas ruas da cidade. Com shows que vão de sexta á domingo, só fica na cidade durante os dias da semana. Esses, trabalhando em seu estúdio. "Acho que sou o cara mais bitolado que existe", brinca. "Como estou sempre em festas, meu tempo de descanso é no estúdio, trabalhando em alguma coisa", conta. Lazer mesmo, só fora do Brasil. No último mês passou três dias com o irmão em Las Vegas onde nenhum dos dois se preocupou com trabalho.

 

Berço eletrônico

 

O talento e a paixão para o house music vêm de berço. Bhaskar é filho do casal de DJs  Swarup e Ekanta, gigantes da vertente psychedelic trance no Brasil. Foram eles que fundaram o consagrado festival Universo Paralello, que toma a praia paradisíaca de Pratigi, na Bahia, e reúne cerca de duas mil pessoas na noite de Réveillon.

 

 

"Com cerca de 12 anos eu e Alok começamos a tocar por hobby. Foram várias dicas dos pais e amigos dos nossos pais, que nos tornamos profissionais já com uns 15 anos", lembra. Bhaskar estudou no La Salle Águas Claras e de lá, se mudou para Londres. "Fui tocar e aprender inglês. Nem cheguei a fazer vestibular", conta. Após um ano e meio na Europa, voltou para o Brasil, onde se casou e se afastou um pouco da música. "Eu precisava de um tempo para mim. Foi nessa época que meu irmão lançou o projeto solo, Alok."

 

Mas não há como deixar a vocação de lado. Em 2012, já divorciado, voltou para as picapes e em 2016 lançou o projeto Bhaskar, que atualmente gira o mundo levando a batida brasileira para as mais variadas pistas de dança. No currículo, shows na Ásia, Austrália, Europa e, em breve, participação especial no Tomorrowland Bélgica, maior festival de música eletrônica do mundo. "A oportunidade de tocar fora do Brasil é incrível! No Vietnã mesmo, os DJs são incríveis, melhores do que eu", conta. "Aprendo muito com eles."

 

Irmandade

O Brasil pôde ver, durante o set de Alok no villa Mix, que a relação da família Petrillo é tão fluida quanto a música. Perante 120 mil pessoas na festa, dois milhões de telespectadores no Multishow e 40 mil no Youtube, os irmão tocaram juntos. "Nossa relação hoje é melhor do que nunca! Nos falamos todos os dias, damos conselho, nos ajudamos e até lançamos música juntos", conta.

 

Os dois assinam a recente Fuego, produção de Alok em parceria com o irmão. Sempre que temos a chance fazemos apresentações juntos, normalmente uma ou duas vezes ao mês", explica. No entanto, Bhaskar ressalta que é bom não ter as imagens sempre associadas. "Seguimos cada um o seu caminho então gosto da nossa independência", diz.

 

Bhaskar ainda opina sobre a polêmica questão do uso de microfone por DJs, marca assinada de seu irmão. "Acredito que a música eletrônica tem crescido e as pessoas querem estar próximas do artista, conhecê-lo e não só assistir um cara atrás da picape", explica. Ele, que usa menos do que Alok, defende o uso para os que tocam foram do meio. "Meu irmão se apresenta em festivais onde a música eletrônica não necessariamente é o foco e as pessoas gostam! Não vejo mal no uso do microfone", conclui.

 

 

Projeto Fórmula

 

Além de agitar pistas de dança ao redor do mundo, Bhaskar tem voltado sua atenção para o novo projeto: Fórmula. "Faço uma brincadeira com Báscara e Bhaskar", explica. A ideia é criar um mini seriado, lançando um vídeo e uma nova música a cada 15 dias com participações especiais. "Vai ser diferente do que estamos acostumados. Quero sair da caixa e tocar com artistas que não são do meio", diz. Mateus, da dupla Jorge & Mateus já um dos parceiros confirmados.

 


Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br
{slideshow_baner}