GPS | COTIDIANO

Amor exótico

COLABORADOR Pedro Lira   
|   30/06/2017 07:00 ( atualizada 30/06/2017 07:00)   
FOTO Cortesia   
Já pensou em criar um animal de estimação exótico? A ideia tem virado tendência em Brasília

Você prefere cachorro ou gato? Ou será que você é mais do tipo serpente, iguana, arara ou quem sabe um porquinho? Os brasilienses estão saindo do óbvio na hora de escolher os animais de estimação. A mania de um pet incomum tem feito sucesso no Instagram.

 

Na cidade, um local que reúne esses donos inovadores é a Exotic Life, pet shop e veterinária especializada em animais silvestres. O dono e veterinário, Matheus Rabello, comenta que por serem animais discretos, passam despercebidos na rotina. "É possível que o seu vizinho crie uma cobra e você nem saiba!", diz.

 

 

Esse é o caso do estudante Roberto Jurema. Apaixonado por cobras, possui uma Jibóia Arco Íris de dez meses. "Sempre gostei de coisas diferentes e na Biologia os répteis me interessam muito", conta. O jovem comprou seu pet de um criatório regularizado em Minas Gerais. "A variação de preço de uma cobra vai de R$ 1.500 mil a R$ 5 mil", explica. Atualmente no Brasil, apenas cinco espécies são autorizadas para a criação em casa.

 

Apesar da beleza, os répteis não criam muita interação com os donos. "Elas reconhecem o dono, percebem que é ele quem alimenta. É importante ter esse contato de pegar, brincar, para que elas não fiquem agressivas", revela.

 

A cobra vive em um terrário que, segundo o dono, a manutenção é bem simples. "Atualmente, ela come um rato por semana, mas a medida que vai envelhecendo, um rato grande por mês", explica. Os gastos não são altos. Um camundongo custa em média R$ 10 e já vem abatido. "Alguns donos fazem a criação dos ratos, o que deixa ainda mais barato."

 

Guru, o porco

 

 

Em um grande jardim do Lago Norte existe uma amizade inusitada. Um cão e seu melhor amigo, um mini pig. Guru, como é chamado, é o pet da família Coe. Donos da Bálsamo Congelados Saudáveis, a família decidiu mostrar que porcos são amigos, não comida.

 

"O Guru vive dentro de casa e é como um cachorro. Adora carinho, andar atrás da gente e brincar", conta Luiza Coe. Segundo a brasiliense, os estereótipos são verdadeiros. "Ele come muito e de tudo! Ração, verduras, frutas. Além disso, sempre que consegue entrar na horta aqui de casa se joga na lama! É bem porquinho", brinca.

 

Apesar da facilidade de criar o Guru, Luiza conta que a única ressalva é que o porco não pode entrar na cozinha. "Ele sente o cheiro da comida e faz um escândalo pedindo! Por isso evitamos". Para o futuro, Luiza brinca que a família está pensando em um bode.

 

Entre Araras e Cacatuas

 

 

O jornalista da Câmara Bernardo Prieto vive em meio as aves. Com mais de 40 pássaros em sua casa, no Lago Sul, tem um carinho especial pelas cacatuas. "Eu crio araras azuis e vermelhas, cacatuas, papagaios, turaco e rosela", conta. Além dos psittacidae, seis cães e uma iguana.

 

"Desde pequeno sempre fui apaixonado por animais. Meu primeiro presente de aniversário foi um bichinho", conta. Para quem acha que criar aves não tem tanta graça, Bernardo nega. "Uma cacatua é um cão de penas! Carinhosos, atendem pelo nome, te chamam, brincam", diz.

 

Entre as favoritas está uma que custou R$ 60 mil reais. "O caro das aves é a aquisição, mas a manutenção é tranquila. Não tem vacinas, não tem tanto gasto com comida, limpeza, pet shop".

 

Na rotina, cerca de duas horas do dia são reservadas para os animais. Ele possui um grande viveiro, um gaiolão e um quarto com pequenas gaiolas onde as aves dormem. "O final da tarde é reservado para elas brincarem", diz. Já a iguana não tem sido muito divertido. "Eu fiquei um tempo sem brincar com ela e acabou ficando agressiva."

 

Primeiro passo

 

 

Apesar de parecer divertido e simples, alguns detalhes devem ser levados em consideração antes de escolher seu animal silvestre. "O mais importante é conversar com um profissional para saber qual melhor se adequa a sua rotina", explica Matheus. "Se você tem crianças em casa, outros pets, quanto tempo passará com o pet e outros detalhes." Em Brasília, os animais que mais fazem sucesso são as aves, como é o exemplo de Bernardo. Depois, os pequenos mamíferos como preás, furões e hamsters. "Em terceiros, os répteis tipo cobras e iguanas", revela Matheus.

 


Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br
{slideshow_baner}