GPS | COTIDIANO

Cobra ou não cobra?

COLABORADOR Redação   
|   10/03/2017 17:41 ( atualizada 10/03/2017 17:41)   
FOTO Reprodução   
Confira o posicionamento das companhias aéreas brasileiras sobre a cobrança de bagagens aprovada pela Anac

Aprovadas no ano passado, as novas regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para o transporte aéreo de passageiros serão válidas a partir de 14 de março. Entre as mudanças, está a polêmica autorização de cobrança pela bagagem despachada, ou seja, as empresas aéreas não serão mais obrigadas a oferecer franquia de bagagens aos passageiros. As companhias têm autonomia para decidir qual franquia de bagagem oferecer e o consumidor poderá escolher o serviço.

Nesta quinta-feira, 9, o Ministério Público Federal em São Paulo pediu que a Justiça anule liminarmente as novas regras. O MPF argumenta que a cobrança fere os direitos do consumidor e vai causar uma queda de qualidade dos serviços gratuitos. Enquanto a história das taxas continua a render, confira o posicionamento das companhias aéreas sobre a cobrança de bagagens em voos: 

LATAM

A partir do dia 14 de março, a LATAM Airlines Brasil alterará suas regras de bagagem com relação à franquia permitida por passageiro e à cobrança do excesso. Segundo a companhia, os passageiros dos voos nacionais vão pagar R$ 50 para despachar malas de até 23 kg nos próximos meses. A medida não está em vigor, mas será implementada "no futuro", segundo a Latam. Confira:

Bagagem de mão: Para viagens realizadas a partir de 14 de março, há aumento no peso da bagagem permitida a bordo das aeronaves em todos os voos, passando de cinco para dez quilos por passageiro (exceto Premium Business e Premium Economy, que mantém a franquia de 16 quilos). As regras relacionadas às dimensões da bagagem de mão seguem inalteradas: no máximo 55 cm x 35 cm x 25 cm (altura x largura x espessura).

Bagagem despachada: Clientes que emitirem bilhetes a partir da data divulgada terão direito a despachar apenas um volume de até 23 quilos em voos dentro do Brasil e de/para a América do Sul. Passageiros na Premium Business ou Premium Economy nos voos de/para América do Sul poderão transportar até três volumes de 23 quilos. Para os demais voos internacionais, é permitido o despacho de até dois volumes de 23 quilos cada em classe econômica e três volumes de 32 quilos em Premium Business. As regras relacionadas às dimensões da bagagem despachada seguem inalteradas, onde largura + altura + comprimento somados devem ter até 158 centímetros.

Excesso de bagagem: Há alteração no pagamento do excedente de bagagem a partir do mesmo dia, seja pelo call center, site ou pessoalmente no aeroporto. A cobrança será mais simples e feita por meio de taxas fixas por peça, por faixa de peso e/ ou por tamanho excedente. Os valores variam de acordo com o tipo de voo: doméstico, regional ou internacional.


Tabela divulgada pela LATAM

GOL

Além de manter o benefício de bagagem, a GOL anunciou uma nova tarifa, a Light, que será mais barata do que as demais para atender quem não precisa ou prefere não despachar bagagens, disponível a partir do dia 4 de abril. As tarifas "Programada" e "Flexível" continuam a incluir, sem custo, uma bagagem de até 23kg e a "GOL Premium", disponível apenas nos voos internacionais, dois volumes do mesmo peso. As reservas adquiridas antes de 4 de abril, independente da data do voo, não sofrem qualquer alteração.

Caso o cliente da tarifa "Light" queira despachar bagagem, esse serviço poderá ser contratado à parte. Nos voos domésticos, o valor para despachar uma mala de até 23kg será de R$ 30 quando adquirida nos canais de autoatendimento e nas agências de viagens; ou R$ 60 no balcão de check-in.  


1ª tabela divulgada pela GOL


2ª tabela divulgada pela GOL

AZUL

A companhia continuará oferecendo normalmente a franquia de bagagens de 23 kg em seus voos domésticos e manterá os preços das passagens aéreas praticados atualmente. No entanto, a companhia terá uma nova opção de tarifa - que será introduzida gradativamente para os mercados onde a empresa opera no Brasil, a partir da próxima terça-feira, 14, - com preços reduzidos para quem não despacha bagagens. Além disso, passa a valer a regra para embarque com bagagens de mão de até 10 kg em todos os voos da empresa.

Agora, as passagens da Azul estarão classificadas em duas categorias: a “MaisAzul” e a “Azul”: A categoria MaisAzul mantém a prática tarifária atual, incluindo franquia de 23 kg de bagagem e sempre estará disponível para compra. E, ainda, o Cliente poderá levar o dobro do peso que levava antes na bagagem de mão.Ao optar pela categoria Azul, que é a nova opção, o Cliente pagará mais barato pela passagem na comparação com a tarifa "MaisAzul" e poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Nessa modalidade, se o cliente mudar de ideia, poderá incluir os 23 kg de bagagem, a qualquer momento, por apenas R$ 30.  Caso o Cliente ultrapasse essa cota de 23 kg, será mantida a atual cobrança por quilo excedente.

AVIANCA

A companhia área também anunciou que não vai cobrar pelas bagagens despachadas a partir do dia 14. A Avianca informou que "prefere estudar essa questão mais profundamente durante os próximos meses" antes de criar produtos tarifários.

 


Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br
{slideshow_baner}