GPS | GPS|TOM

Enrustidos também amam?

COLABORADOR Tom Siqueira   
|   14/12/2016 14:05 ( atualizada 14/12/2016 14:05)   
FOTO Reprodução   
Apesar de não aparecem nas estatísticas, eles estão aí e também querem ter direito a viver um grande amor. Mas será que isto funciona?

Segundo o dicionário: “Diz-se ENRUSTIDO, da pessoa que está escondida. [Por Extensão]  Que não se mostra; que não se apresenta facilmente; dissimulado. Aquele que não expõe sua homossexualidade.”

 

 

Daí me veio a pergunta: gays podem optar por um modelo mais heteronormativo???

Claro que sim! Os gays podem tudo! Muitos, aliás, buscam tal representação (principalmente) devido ao desejo de inclusão, a vontade de se sentirem “normais”, aceitos e não correspondentes a um grupo de padrões instituídos pela cultura do arco-íris onde quem é gay, para ser aceito como tal, precisa se assumir e se colorir para sociedade. Não mesmo!

 

 

Na cultura dos enrustidos há pitadas do Cristianismo, coisa que respeito e sigo sem dar conta por estar tão dissolvido e entranhado em nossa educação que seria impossível dissociar tais padrões de comportamento sem que houvesse dogmas religiosos embutidos no pacote. Há ainda valores morais e filosóficos instituídos de longa data, pelos ancestrais dos ancestrais gregos e romanos. Somos um povo, inegavelmente, de identidade vigente latina. Em outras palavras, existem muitos adeptos gays ao modelo heteronormativo, e está tudo bem assim.

 

Mas algo que me dei conta em minhas andanças pela vida, em experiências pessoais, vivências com amigos, em relatos recebidos em minhas redes sociais e por muitos e-mails que chegam como pedidos de socorro, e inclusive, tratando em minha terapia, é que “ser gay” carrega uma dádiva: não temos a obrigação, nem responsabilidade, nem a necessidade de nos vincular a padrões comportamentais e socialmente esperados. Enquanto uma imensa maioria se assume homossexual publicamente, há uma realidade inegável: existem gays que muito se identificam com o “jeito hétero de ser”.

 

 

Mas óbvio... o mundo dos enrustidos funciona diferente. Por exemplo...

 

Você nunca vai poder ser apresentado aos pais dele como namorado, e se for afeminado - ou no caso delas -  masculina demais, suas chances são zero! Para os amigos você sempre será “o amigo da faculdade”, do curso, da escola, do trabalho, e nunca o namorado que ele é/está apaixonado.

 

Outro ponto importante é que você não pode exigir que ele não beije outras garotas para disfarçar para os amigos que é hetero, já que ele precisa “manter uma imagem” para não sofrer preconceito. Ele é cabra macho, mas morre de medo do que os outros vão pensar, ainda mais se for aquele amiguinho que o chama de “viado” na zoeira...

 

 

Andar de mãos dadas na rua??? NUNCA! Muito menos dar um selinho ou segurar sua mão na sala do cinema, isso se ele te levar para ir ao cinema, porque no geral, as relações com enrustidos são escondidas e só acontecem entre 4 paredes. Os encontros são limitados, as madrugadas vazias ou quando não houver ninguém na sua casa ou na dele, mas se for afeminado talvez vocês nem namorem.

 

Se você sonha que ele vai salvar seu contato com o nome de “mozão”, “mor”, “moli” e esses nominhos fofos e melosos tire o cavalinho da chuva. Isso vai ferir a masculinidade dele e a mãe, o pai, o amigo, a irmã, a tia, a sobrinha, o papagaio falante podem ver! Portanto, nem pensar em apelidos emotivos no celular! As desculpas mais plausíveis são essas, acredite.

 

Você não vai poder leva-lo em casa! Mas não pelo preconceito de seus familiares, mas sim por ele pensar no que os outros “vão pensar”! Afinal, na mente de um enrustido, os vizinhos podem comentar, alguém pode ver, filmar, fotografar. Porque um gay não pode simplesmente ser amigo de um hétero sem segundas intenções. É assim que funciona!

 

Sabe aquela foto fofa de casal no instagram dos dois ao acordar num dia domingo??? Ou naquele restaurante japonês que você adora ir para ficar de namorinho no tatame reservado??? Sinto muito desapontar, mas nunca irá existir. É como dar um tiro no peito do sujeito, escancarar aos quatro cantos que ele não é tão macho assim, como se ser gay o desqualificasse.

Se os amigos dele zombarem de você por você ser gay, por seu trejeito, ou simplesmente por serem idiotas, a probabilidade do seu “namorado” ajudar a te zoar é bem maior do que você imagina. E ele fará isso apenas para que possa manter a pose de “macho alfa”.

O sonho da aliança no dedo nunca será concretizado... Ele não pode usar, seus amigos e seus familiares vão especular, e ele não tem namorada e sim um namorado. E por vergonha e medo ele não aceitará usar.

A relação não vai durar muito tempo porque se você se ama e se valoriza perceberá que você precisa e merece alguém melhor e que saiba o que quer. Nem eu, nem você e nem ninguém merece amar uma pessoa que simplesmente não te aceita do jeito que você é! Uma hora ou outra você vai escorregar na distração de chama-lo de “amor” em público, ou vai querer abraça-lo de uma forma mais carinhosa e feliz, e tudo isso será sim motivo para uma desilusão.

 

 

Se você é carente, nem invista nessa “relação”... Vocês não poderão se ver com muita frequência, principalmente porque um não pode frequentar a casa do outro e lugares públicos são bastante perigosos, nem sempre vocês terão dinheiro para motel e se tiverem muito provável que vocês não possam ir porque alguém pode ver, entendeu?,

 

Eu poderia enumerar milhares de motivos, mas considero esses os mais importantes. Porém, me coloco muito no lugar dos enrustidos e posso com isso imaginar quão desafiador deve ser manter todo esse aparato de cuidados e proteção para manter em ordem sua ilibada reputação de macho! Gente! Não deve ser mole não... Por isso acredito que não há forma transformadora maior que o amor. Esta, quando acontece, derruba toda e qualquer barreira normativa e emocional que possa existir. Quando se ama de verdade, dá é orgulho! A gente quer vibrar junto, dormir e acordar, vivenciar inteiros todos os momentos, por mais simples que sejam. E principalmente, nos tornar família um para o outro, assim como somos para aqueles que em algum momento de nossas vidas foram incapazes de nos amar e respeitar como seres humanos livres para amar!


Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br
{slideshow_baner}