GPS | ESPORTE

Vitória nossa

COLABORADOR Redação   
|   19/08/2016 07:00 ( atualizada 19/08/2016 07:00)   
FOTO Agência Brasil   
GPS|Brasília te atualiza das 15 medalhas que o Brasil já reuniu na Olimpíada Rio 2016

Bolt, Lotche, Pheps, Arthur Nory. Seja pelas várias medalhas ou polêmicas em que se envolveram, alguns atletas têm dado o que falar na Olimpíada Rio 2016. Em meio a tanto assuntos nos sites de notícias e redes sociais, as vezes é difícil acompanhar o quadro e a posição do país na competição. Pensando nisso, o GPS|Brasília reúne as 15 medalhas que o Brasil já garantiu e te atualiza da Rio 2016.

 

Ouro

 

 

Nossa mais recente medalha de ouro foi garantida na madrugada de hoje pela dupla do brasiliense Bruno Schmidt e o parceiro Alison Cerutti no vôlei de praia masculino. Os dois venceram por dois sets a zero os italianos Paolo Nicolai e Daniele Lupo e  conquistaram a quinta medalha de ouro do Brasil nesta Olimpíada.

 

Rafaela Silva (foto em destaque) foi a primeira a conquistar um ouro para o Brasil. A judoca venceu a lutadora da Mongólia e garantiu o lugar mais alto do pódio no Judô até 57 quilos. A carioca se emocional na vitória, que foi ainda mais simbólica após ter sido chamada de macaca na Londres 2012.

 

O brasileiro Thiago Braz da Silva conquistou a medalha de ouro e bateu o recorde olímpico no salto com vara masculino em uma emocionante disputa contra o francês Renaud Laevilleni na final da prova.

 

 

O brasileiro Robson Conceição fez história e conquistou a primeira medalha de ouro do boxe brasileiro em olimpíadas e o terceiro ouro do Brasil na Rio 2016. Por decisão unânime dos juízes, o lutador baiano derrotou o francês Sofiane Oumiha na categoria peso ligeiro, até 60 quilos.

 

As atletas Martine Grael e Kahena Kunze conquistaram o ouro na classe 49er FX da vela. Após dez regatas, elas chegaram à regata da medalha em segundo lugar na classificação geral, mas conseguiram garantir o lugar mais alto do pódio quando terminaram em primeiro a última regata de ontem, 18.

 

Prata

 

Atrás do vietnamita Xuan Vinh Hoang, o atirador brasileiro Felipe Wu trouxe para o Brasil uma medalha no tiro esportivo 96 anos depois do título olímpico de Guilherme Paraense – cujo nome batiza o centro olímpico de tiro esportivo no Rio –, nos Jogos da Antuérpia, em 1920.

 

Na modalidade queridinha do público, Ginástica artística, Diego Hypólito garantiu prata. O atleta, de 30 anos, persiste na busca por uma medalha há duas edições do mega evento. Em Pequim 2008, chegou na final mas caiu, de bunda, em sua apresentação. Quatro anos depois, em Londres 2012, caiu de cara. Esse ano no entanto compensou os treinos. "Já caí de bunda e de cara, mas hoje caí em pé" contou orgulhoso ao receber a medalha.

 

O ginasta Arthur Zanetti conquistou a medalha de prata na final da prova de argolas da Ginástica artística. O atleta alcançou nota 15.766 e ficou atrás apenas do grego Eleftherios Petrounias, atual campeão mundial, que fechou a série com nota 16.000. Zanetti foi campeão olímpico nas argolas nos Jogos de Londres, em 2012. O brasileiro coleciona ainda três pódios mundiais: um ouro, em 2013, e duas pratas, em 2011 e 2014.

 

Com o tempo de 3min58seg529, o brasileiro Isaquias Queiroz conquistou a medalha de prata na canoagem de velocidade. O atleta ficou atrás do alemão Sebastian Brendel, que fechou a prova com o tempo de 3min56seg926.

 

 

A dupla brasileira Agatha e Barbara venceu as americanas Walsh e Ross, consideradas favoritas no vôlei de praia feminino, garantindo a prata. Apesar da vitória na semifinal, as meninas foram derrotada pelas alemãs Ludwig e Walkenhorst na última disputa da categoria.

 

Bronze

 

A judoca Mayra Aguiar conquistou sua segunda medalha de bronze em jogos olímpicos, tornando-se a primeira mulher a ganhar mais de uma em Olimpíada. Na categoria até 78 quilos do judô, Mayra venceu a cubana Yalennis Castillo e garantiu mais uma medalha para o Brasil.

 

Assim como Mayra, o judoca Rafael Silva conquistou a segunda medalha de bronze em jogos Olímpicos e a primeira do judô masculino na Rio 2016. Com um yuko, Baby, como é conhecido, venceu o uzbeque Abdullo Tangriev na categoria 100 quilos masculino.


 

Junto de Diego Hypólito, Arthur Nory Mariano garantiu para o Brasil a medalha de bronze na ginástica artística, categoria solo masculino. Essa foi a primeira vez do atleta na Olimpíada.

 

A paulista Poliana Okimoto, de 33 anos, fez história em Copacabana, no Rio de Janeiro, tornando-se a brasileira mais bem colocada de todos os tempos na natação brasileira em qualquer Olimpíada. Ela ganhou o bronze na maratona olímpica, prova em que as nadadoras percorrem 10 mil metros em mar aberto.

 

Isaquias Queiroz conquistou também a medalha de bronze na prova dos 200m da canoagem de velocidade. O canoísta superou por muito pouco o espanhol Alfonso Benavides Lopez de Ayala. Hoje ele compete de novo junto com Erlon de Souza, na prova de 1.000 metros canoa dupla.


Todos os direitos reservados - 2014
Política de Privacidade
Termos e Condições
Anúncie Conosco:
SHIS QI 05, Bloco F, sala 122, Centro Comercial Gilberto Salomão
CEP 71615-560 - Brasília - DF - Brasil
Telefone: +55 (61) 3364-4512 | Email: info@gpsbrasilia.com.br